Páginas

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

TERRA NATAL

Nas ruas de Aimorés passam carroças
Passam os trilhos e o trem
E passam meus dias devagar
Vagões de minério. Vagões de mineiro
Voltam sempre vazios (os de minério)
Ou sempre cheios de minério (os de mineiros)

A índia Lorena, hoje estátua na praça
Antes mulher, diz a lenda - linda
Nua se lançou às águas
Muitas águas a do amor; afundou

Despejo meus olhos nas águas do Rio Doce
Antes navegável
Náufrago horizonte a vagar em poucas águas

Mineiro de minério meio sério que sou
De fôlego pesado e coraçao de ferro
Espero nas tardes quentes de 40 graus
O retorno sem trilhos do trem que não volta mais.

Pablio Motta

Nenhum comentário:

Postar um comentário