Páginas

sexta-feira, 6 de abril de 2012

TESTAMENTO

Eu não queria que lesse esta poesia
Porque o amor engorda, envelhece,
Muda a direção.
Minhas palavras ficarão registradas
Neste livro empoeirado escondido na estante
Enquanto vermes corroem meu corpo putrefato
Enterrado eu não sei a quanto tempo atrás.
Lágrimas emborrachadas começam a apagar
Esta declaração de amor pendurada no tempo
Que perdura até este momento
Eterno.
(assim esperarei na eternidade o seu sacrifício)
Para que minha lembrança não desapareça
Neste tempo sem data em que o amor resistiu
A nós dois
Entre brigas e enganos;
Mudanças de humor.
A solidão certamente deixará as noites mais turvas e amargas
Cobrindo o tempo de eternidade e silêncio
Mas ao reler estes versos mortos
Você descobrirá que por um segundo me trouxe à tona
Ao sentir minha presença em seu coração.

Pablio Motta

Nenhum comentário:

Postar um comentário